Guia de Compras Celulose e Papel

Guia de Compras Celulose e Papel

logo_abtcp.png


O bagaço de cana na produção de papel sulfite

Entrevistas | Negócios & Mercado | 27.04.2012
Publicação

A sua utilização não é nova, mas as tecnologias mais recentes tornaram o papel sulfite feito a partir do bagaço da cana-de-açúcar um processo que finalmente pode ser conduzido com alta qualidade. Uma das empresas que beneficia a matéria-prima é a GCE Papéis. Exclusivamente trabalhando com a cana-de-açúcar, a empresa ganha visibilidade e se diferencia das demais em um mercado tão competitivo, como  o nosso setor papeleiro.

É desta forma que Luiz Machado, da GCE Papéis, justifica seus investimentos na matéria-prima, ao invés da utilização de outras fibras no processo de produção de papel. Além disso, o executivo pontua que, tanto custo como fabricação não diferem da utilização da celulose de eucalipto e cita ainda algumas vantagens ambientais. 

“A utilização do bagaço de cana na fabricação de papel ajuda sobremaneira a minimização dos possíveis impactos ambientais oriundos do acúmulo de resíduos gerados por atividades industriais. Com isso, o bagaço de cana deixa de ser queimado para a geração de energia termoelétrica e passa a ter uma utilização mais nobre”, comenta Machado.

Transpondo agora a questão da qualidade, os objetivos da empresa são o de difundir a marca e desenvolver novos produtos a partir do bagaço da cana. Inclusive, seu primeiro produto, que chegou ao mercado brasileiro em 2005, o papel ECOQUALITY® recentemente foi Vencedor do Prêmio GreenBest 2012 na categoria Materiais Inovadores.

Conheça mais sobre a utilização do bagaço da cana, na entrevista a seguir...

Por que a empresa investiu nesta matéria-prima?
Luiz Machado: O papel produzido com bagaço de cana-de-açúcar já existe há muito tempo. Contudo, a qualidade deste produto deixava a desejar em relação ao desempenho em equipamentos de alta velocidade de impressão. Com investimento em novos equipamentos e o aprimoramento da tecnologia, foi possível produzir em larga escala e com total segurança, sob um rígido controle de qualidade, o que tem assegurado ao produto posições de destaque no setor. Em 2011, o produto foi agraciado com o prêmio Bright Green Book Sec. XXI (Livro Verde do Século XXI), em que foram listadas as 100 melhores práticas em sustentabilidade no mundo.

Como tem sido a procura por esse tipo de papel pelo mercado? Quais os desafios enfrentados?
LM: Iniciamos a comercialização desse produto em 2005 e tivemos muitas dificuldades em comunicar ao consumidor que o papel produzido a partir do bagaço de cana-de-açúcar funcionava em todos os equipamentos e com o mesmo desempenho dos produtos comumente utilizados. A partir de 2010, o produto começou a ganhar espaço, à medida que uma grande empresa passou a utilizá-lo e percebeu que o nosso papel tinha excelente desempenho. A partir daí, este cliente indicou o produto a outras empresas que também passaram a nos procurar. Como sempre, o boca a boca ajuda muito na divulgação e, com isso, temos ganhado mais e mais participação nesse mercado.

O que o investimento no bagaço da cana melhorou nos planos da empresa?
LM: A empresa desde o início tem como objetivo trabalhar e fornecer somente papel produzido a partir do bagaço de cana-de-açúcar, de fato esse é o diferencial. Atualmente, o nosso foco está voltado ao desenvolvimento de novos produtos que venham contribuir com a missão da empresa que é oferecer produtos sustentáveis, de excelente qualidade e a preços extremamente competitivos.

Os custos envolvidos na produção desse papel encarecem o produto?
LM: A fabricação do produto é exatamente igual ao custo de fabricação do papel convencional produzido a partir do eucalipto. A diferença está somente no tipo de matéria prima utilizado, nesse caso, o bagaço de cana-de-açúcar.


Qual é o preço de venda do produto?
LM: O preço de venda desse produto é exatamente igual ao preço do produto tradicional. Dependendo do local onde é adquirido, pode custar alguns centavos a mais ou a menos. O preço também varia, de acordo com as quantidades. Quanto maior o volume, mais em conta acaba ficando o nosso produto para o cliente.

 

Thais Santi
Jornalista
tel. (11) 38742726
Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Sobre o site

Este projeto digital foi concebido para proporcionar a você uma nova experiência de leitura dentro do setor de celulose e papel. Produtos são sugeridos nas diversas telas de forma aleatória ou conforme o tipo de busca. Visite o Guia e experimente!

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da ABTCP - Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

Entre em contato com a ABTCP, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

GUIA DE COMPRAS CELULOSE E PAPEL logo_abtcp_footer.png

Guia de Compras | ABTCP | 2011 Todos os direitos reservados