Guia de Compras Celulose e Papel
Voltar   

BASF registra discreto crescimento nas vendas e lucros

Empresas | Notícias | 29.07.2018




Grupo BASF registra discreto crescimento nas vendas e lucros
Segundo trimestre de 2018

No segundo trimestre de 2018, o Grupo BASF obteve um discreto aumento nas vendas e lucros. "Em comparação com o segundo trimestre de 2017, as vendas aumentaram €518 milhões, indo para €16,8 bilhões", diz o Dr. Martin Brudermüller, presidente da Junta Diretiva da BASF SE. Este foi o resultado dos preços mais altos em todos os segmentos, principalmente em Materiais e Soluções Funcionais e Óleo & Gás. Além disso, todos os segmentos, exceto Produtos de Performance, registraram aumento de volumes, fato parcialmente balanceado pelos efeitos cambiais negativos.
A BASF obteve um aumento do lucro operacional antes dos itens extraordinários (EBIT) de €105 milhões, de um ano para o outro, atingindo €2,4 bilhões, em grande parte devido à contribuição significativamente melhor do segmento de Óleo & Gás. O EBIT antes dos itens extraordinários apresentou um leve aumento nos segmentos de Soluções para Agricultura e Produtos de Performance, mas apresentou discreta queda no segmento de Químicos e diminuiu consideravelmente no segmento de Materiais e Soluções Funcionais. 
As vendas aumentaram em €307 milhões, comparadas ao primeiro semestre de 2017, indo para €33,4 bilhões, fruto dos preços de venda mais elevados, especialmente nos segmentos de Materiais e Soluções Funcionais, Químicos e Óleo & Gás, e devido ao crescimento de volumes em todos os segmentos, exceto Produtos de Performance. Os efeitos cambiais negativos, principalmente relacionados ao dólar americano, prejudicaram as vendas em todos os segmentos.

A BASF registrou aumento de €160 milhões do EBIT antes dos itens extraordinários no primeiro semestre de 2018, indo para €4,9 bilhões, em grande parte devido à contribuição significativamente melhor do segmento de Óleo & Gás. O EBIT antes dos itens extraordinários apresentou discreto aumento no segmento de Químicos, mas registrou leve queda no segmento de Produtos de Performance e diminuiu consideravelmente nos segmentos de Materiais e Soluções Funcionais, e Soluções para Agricultura.
Nova unidade Verbund planejada para a província chinesa de Guangdong
Brudermüller aproveitou a apresentação dos números do segundo trimestre de 2018 para discutir os planos da BASF de construir uma unidade Verbund - que conta com processo de produção integrado -, na província de Guangdong, no sul da China. A BASF seria a primeira empresa estrangeira na China 100% responsável pela construção e operação de um unidade Verbund, incluindo um steam cracker. "Mais uma vez, a BASF é pioneira aqui, liderando o caminho", disse Brudermüller.
Com uma participação no mercado mundial de cerca de 40%, a China já é o maior mercado de produtos químicos e domina o crescimento da produção química global. “Uma empresa como a BASF, que tem o objetivo de ser a empresa química líder mundial, deve fazer parte deste importante mercado em crescimento. Além disso, com um nova unidade Verbund, a BASF pode assumir um papel na abertura da indústria química na China e se posicionar de forma única no país”, comentou Brudermüller.
A BASF estima que o investimento pode chegar a US$10 bilhões até a conclusão do projeto, por volta de 2030. As primeiras fábricas deverão estar prontas até 2026, no mais tardar. “Entretanto, devemos ter em mente que a assinatura do Memorando de Entendimento é apenas um primeiro passo de muitos que virão. O próximo passo será a condução de um estudo de pré-viabilidade”, acrescentou Brudermüller.

BASF planeja concluir a aquisição dos negócios da Bayer em Agosto

Brudermüller também informou sobre a situação das transações negociadas com a Bayer: “Atualmente, prevemos que a aquisição desses negócios poderá ser concluída em agosto. E estamos ansiosos para receber, em breve, os 4.500 novos colegas, com áreas de atuação inovadoras, que farão parte da BASF”. A aquisição representa um complemento estratégico para as atividades da BASF nas áreas de proteção de cultivos, biotecnologia e agricultura digital. Além disso, marca a entrada da BASF no negócio de sementes.
Panorama para o ano de 2018
Levando em consideração o andamento do ano, Brudermüller comentou: “os riscos econômicos globais aumentaram significativamente durante o primeiro semestre de 2018, fruto de acontecimentos geopolíticos e dos conflitos comerciais entre os Estados Unidos e a China, e entre os Estados Unidos e a Europa. Estamos monitorando de perto tais desdobramentos e os efeitos potenciais em nossos negócios”. No momento, a avaliação da BASF sobre o ambiente econômico global em 2018 permanece inalterada, com exceção do preço previsto do petróleo. A BASF prevê as seguintes condições econômicas (previsões anteriores do Relatório Anual de 2017 da BASF entre parênteses):

Crescimento do produto interno bruto: 3,0% (3,0%)
Crescimento da produção industrial: 3,2% (3,2%)
Crescimento da produção de químicos: 3,4% (3,4%)
Taxa de câmbio média entre o euro e o dólar de US$1,20 por euro (US$1,20 por euro)
Preço médio do petróleo (Brent) para o ano de US$70 por barril (US$65 por barril)
A BASF confirma as previsões de vendas e lucros para o Grupo BASF apresentadas em seu Relatório Anual de 2017 e espera um ligeiro crescimento das vendas, um ligeiro aumento no EBIT antes dos itens extraordinários e uma discreta queda no EBIT. Além disso, a BASF espera um abono significativo no custo de capital, com um declínio considerável no EBIT após o custo de capital. Tal previsão não leva em consideração a fusão pretendida das atividades de óleo e gás da BASF com os negócios da DEA Deutsche Erdoel AG e suas subsidiárias.

Evolução dos segmentos
As vendas de €4,1 bilhões do segmento de Químicos superaram discretamente os €4 bilhões registrados no mesmo trimestre do ano anterior, resultado dos preços mais altos, principalmente nas divisões de Monômeros e Intermediários, assim como do crescimento nos volumes. No entanto, as vendas foram reprimidas pelos efeitos cambiais, principalmente em relação ao dólar americano. 

O EBIT antes dos itens extraordinários apresentou discreta queda, comparado com o segundo trimestre de 2017, mas permaneceu alto, na casa do €1,1 bilhão. O ligeiro decréscimo foi atribuído principalmente aos custos fixos mais elevados, resultado de paradas nas fábricas. No primeiro semestre do ano, as vendas no segmento de Químicos cresceram 3%, de €8,2 bilhões para €8,4 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários subiu 6%, indo para €2,2 bilhões.

As vendas no segmento de Produtos de Performance apresentaram uma leve queda, de um ano para o outro, atingindo €3,9 bilhões (segundo trimestre de 2017: €4,1 bilhões). Atribuímos este cenário ao efeito cambial negativo em todas as divisões, principalmente relacionado ao dólar americano. Volumes mais baixos nas divisões de Nutrição e Saúde e Care Chemicals, bem como os efeitos de portfólio nas divisões de Químicos de Performance e Dispersões e Pigmentos também prejudicaram as vendas. No entanto, as vendas tiveram um impacto positivo devido aos maiores preços de venda. Na casa dos €409 milhões, o EBIT antes dos itens extraordinários aumentou ligeiramente em comparação com o trimestre do ano anterior, devido aos custos fixos mais baixos e margens mais altas. As vendas no primeiro semestre do ano caíram 5%, de €8,4 bilhões para €7,9 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários apresentou queda de 4% no primeiro semestre do ano, indo para €879 milhões.

As vendas de €5,5 bilhões no segmento de Materiais e Soluções Funcionais aumentaram discretos 5%, em comparação com o trimestre do ano anterior, devido aos preços mais elevados e ao aumento dos volumes de vendas. As vendas foram reprimidas pelos efeitos cambiais, principalmente relacionados ao dólar americano. O EBIT antes dos itens extraordinários, de €338 milhões, ficou bem abaixo do número obtido no segundo trimestre de 2017, principalmente por conta de custos fixos mais altos e margens menores, devido ao aumento nos preços das matérias-primas. No primeiro semestre do ano, as vendas de €10,7 bilhões ficaram 2% acima do nível do ano anterior. O EBIT antes dos itens extraordinários totalizou €671 milhões, comparado com €953 milhões no mesmo período do ano anterior.

As vendas de €1,5 bilhão, no segmento de Soluções para Agricultura apresentaram discreta queda, quando comparadas com o trimestre do ano anterior, devido aos efeitos cambiais negativos em todas as regiões. A BASF aumentou os volumes de vendas principalmente na América do Sul e na Ásia, e aumentou ligeiramente os preços. O EBIT antes dos itens extraordinários, de €278 milhões, foi ligeiramente superior ao do segundo trimestre de 2017. Apesar dos efeitos cambiais negativos, um mix de produtos mais favorável elevou a margem média, o que compensou o pequeno aumento nos custos fixos. No primeiro semestre de 2018, as vendas no segmento de Soluções para Agricultura diminuíram 4% e totalizaram €3,2 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários apresentou queda de €104 milhões, indo para €701 milhões.

No segmento de Óleo e Gás, as vendas aumentaram consideravelmente em comparação com o trimestre do ano anterior, atingindo quase €1 bilhão, principalmente devido aos preços mais elevados. As vendas também cresceram devido ao aumento dos volumes da Noruega, após o início da produção em novas áreas, bem como volumes mais robustos de negócios. O preço do barril de petróleo bruto Brent foi em média US$74 no segundo trimestre de 2018 (segundo trimestre de 2017: US$50). Os preços do gás nos mercados europeus também foram significativamente mais altos do que no trimestre do ano anterior. 
As vendas foram reduzidas pelos efeitos cambiais. A BASF melhorou consideravelmente o EBIT antes dos itens extraordinários, indo para €391 milhões (segundo trimestre de 2017: €183 milhões). Os preços do petróleo e do gás subiram. Na Noruega, a BASF registrou menor depreciação como resultado de maiores reservas e crescimento de volumes. O lucro líquido aumentou consideravelmente. No primeiro semestre do ano, as vendas subiram para €1,9 bilhão (2017: €1,6 bilhão) e o EBIT antes dos itens extraordinários subiu para €756 milhões (2017: €353 milhões).

As vendas de €662 milhões, em Outros, ficaram bem acima dos €476 milhões reportados no segundo trimestre de 2017, principalmente como resultado de maiores volumes de vendas e preços mais altos no comércio de matérias-primas. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou consideravelmente, devido a contribuições menores para provisões e um melhor resultado em moeda estrangeira. Em comparação com o primeiro semestre de 2017, as vendas aumentaram 12%, indo para €1,2 bilhão e o EBIT antes dos itens extraordinários registrou melhora de 13%.

Fonte: BASF